Águeda

Águeda, sede de concelho desde 1834 e cidade desde 1985, deve a sua fundação aos celtas, Túrdulos e Gregos remontando ao ano de 370 Ac.
A antiguidade da ocupação desta região é revelada por diversos monumentos megalíticos e pelo Cabeço do Vouga, importante estação arqueológica localizada junto do trajecto da via militar romana de Olissipo a Bracara.
No século XI, Águeda é um burgo próspero, com um comércio desenvolvido e o seu porto movimentado, abastecendo-se a si e às populações vizinhas de além Alcoba (hoje Caramulo). É referida, em documentos de 1050 e 1077, tanto pelo seu nome primitivo Casal Lousado (lat. Casal Lousato) como pelo seu nome próprio latinizado Anegia, Agatha e Ágada.
Águeda não teve foral na Idade Média, ao contrário de outras povoações vizinhas, por ser terra reguenga e couto dos mosteiros de Lorvão e Vacariça.
Águeda era ponto de apoio dos caminhos de Santiago. Na sua albergaria ter-se-á recolhido em 1325 a Rainha Santa Isabel, quando se dirigia em peregrinação para Santiago de Compostela.
Em 1834, Águeda ascende à categoria de sede de concelho, por consequência da revolução liberal dando-se uma reforma administrativa devido à sua capital importância na estratégia político-militar da resistência, à 2ª invasão francesa, pois possuía um hospital militar que socorria os feridos provenientes das batalhas. Desde que foi elevada à categoria de concelho, Águeda começou a ter uma vida política bastante movimentada, mas foi sempre muito bem representada por nomes influentes da terra.
No dia 8 de Julho de 1985, a vila de Águeda é elevada à categoria de cidade.
Águeda actua como fronteira entre o mar e a serra devido à sua privilegiada situação geográfica, sendo servida por vias rodoviárias e ferroviárias de fácil acesso.
Actualmente, Águeda é uma cidade em franco desenvolvimento económico e social, sendo uma das cidades mais industrializadas do pais.
O Município de Águeda tem património cultural e paisagístico que importa preservar na sua essência e dinamizar em torno dos novos desígnios da procura turística, criando infra-estruturas e serviços necessários ao seu aproveitamento.
Águeda é um concelho repleto de recantos à espera que os venha descobrir, onde a diversidade das suas paisagens o envolve com a boa gastronomia - o prestigiado Leitão da Bairrada tem o seu lugar de destaque -, acompanhada pelos néctares da Região Demarcada da Bairrada..
Sendo o Turismo uma das actividades com maior potencial de crescimento, Águeda convida-o para um conjunto de iniciativas anuais, que vão desde eventos culturais, gastronómicos e desportivos, aos trilhos pedestres e aos percursos cicláveis e à descoberta da natureza.
A Cultura assume-se hoje como elemento agregador e potenciador de inúmeras dinâmicas sociais, bem como uma alavanca do desenvolvimento de uma sociedade mais criativa, podendo gerar inúmeras externalidades positivas ao nível da economia local e da dinamização dos espaços urbanos.
A Cultura desempenha um papel fulcral na atratividade de um território, enquanto fator de competitividade e de diferenciação, sendo um indicador da qualidade de vida e do bem-estar das populações. Como tal, a cultura continuará a ser uma das grandes apostas da Autarquia na promoção e apoio de iniciativas, projetos e ações que visem o desenvolvimento cultural da região e o alargamento das suas potencialidades, bem como a preservação da sua identidade cultural e o intercâmbio cultural nas suas diversas formas de expressão.
Com um variado cartaz de eventos culturais, Águeda convida-o a visitar a beleza e imponência da Pateira de Fermentelos - a maior lagoa Natural da Península Ibérica, os percursos pedestres implementados - que levam o visitante aos principais pontos de interesse do concelho, os museus, as igrejas e outros monumentos nacionais.
Venha, também, conhecer as freguesias do nosso concelho, encontrando alguns espigueiros, as azenhas ou moinhos de água, palacetes e diversos imóveis de valor patrimonial.
A cidade oferece uma zona ribeirinha que convida a passeios a pé ou de bicicleta e várias zonas de comércio tradicional, onde pode apreciar a gastronomia regional e os típicos doces tradicionais de Águeda.
No caso do Município de Águeda o Turismo Industrial consiste num produto turístico de elevado valor económico e cultural, capaz de atrair grupos de pessoas interessadas em conhecer a estrutura das empresas, as suas unidades produtivas, a forma de produção e a tecnologia empregada. Considerando o tecido empresarial Aguedense, a sua tradição e afirmação nacional, é elevado o potencial lúdico e histórico que leva os visitantes a conhecerem o passado e a história viva da indústria concelhia e nacional.
A localização estratégica privilegiada, próxima dos principais centros urbanos e de infraestruturas de transporte ferroviário, marítimo e aeroportuário, contribui também para que o concelho se apresente como um importante polo estratégico industrial, atrativo para investir, trabalhar, viver e também visitar!
Prova desta atratividade, é que Águeda apresenta uma oferta industrial variada (cerca de 5000 empresas, 700 das quais no ramo das indústrias transformadoras, INE, 2011) distribuída por setores tão diferentes como a cerâmica, do barro vermelho, de revestimento, decorativa e utilitária, vestuário, do metalomecânico ligeiro, da indústria do automóvel, das duas rodas, do habitat e mais recentemente do mobiliário metálico, da iluminaçãoo e da eletrónica.
Pela importância que esta dimensão industrial representa a nível histórico, economico-social e cultural para o concelho e face aos desafios que se colocam na captação de novos mercados turísticos, o Município de Águeda aposta na valorização e promoção do património industrial local, procurando aproximar o setor empresarial dos cidadãos e vice-versa. O objetivo desta aposta passa por fomentar nos cidadãos locais e nos turistas que nos visitam um maior conhecimento relativo ao processo produtivo de algumas indústrias importantes para Águeda, bem como transmitir e comprovar a importância e a influência que estas tiveram e têm no desenvolvimento socioeconómico do concelho, da região e de Portugal.
A "litoral" a região é percorrida no sentido Norte/Sul pela auto-estrada Porto - Lisboa, sendo o Concelho “servido” através dos nós de ligação de Albergaria-a-Velha, a Norte, e Oiã, a Sul, ligação essa que é efectuada respectivamente pela estrada A25 e EN333. Ainda no mesmo sentido encontra-se a via com maior fluxo de tráfego que existe no Concelho: a EN1/IC2.
Ao "interior" chega-se essencialmente a partir de três vias rodoviárias distintas: a EN230, que liga Aveiro ao Caramulo, a EN333, que liga Oiã ao nó de ligação à A25, em Talhadas, e a EN336 que liga a EN230 a Mortágua.
É ainda o Concelho atravessado a Norte pela A25, que liga Aveiro a Vilar Formoso, sendo no entanto o seu fluxo de acesso diluído quer no tráfego da EN1/IC2, quer no da Estrada Nacional N.º 333.
Ainda no espaço do Concelho, e numa extensão de 21,082 Kms, cruza-se a linha de Caminho de Ferro do Vouga, uma via estreita que liga Aveiro a Sernada do Vouga, e que desempenha papel importante na deslocação diária da população de toda a região.



Fonte: Câmara Municipal de Águeda

| o que fazer

explore, experimente, viva

O site Viver no Centro de Portugal utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
Encontre aqui o que procura