Albergaria-a-Velha

O território que hoje compõe o concelho de Albergaria-a-Velha tem ocupação humana desde a pré-história, conforme os sítios arqueológicos o demonstram.
Chegados ao século XVI, este território estava dividido por diversos concelhos autónomos: Angeja, Frossos, Paus e Pinheiro, enquanto os restantes aglomerados populacionais se mantinham na jurisdição de outros concelhos: Aveiro (Albergaria-a-Velha parte de Valmaior, São João e Loure), Bemposta (Albergaria-a-Nova, Branca e Ribeira de Fráguas), Recardães (parte de Valmaior) e Vouga (parte de Valmaior).
Com o advento do Liberalismo, foi então promovida a elevação de Albergaria-a-Velha à categoria de Vila e criado o seu concelho, retirando-a do concelho de Aveiro. Para esse fim, foi anexada o concelho de Angeja (temporariamente extinto), a freguesia de São João de Loure e parte da freguesia de Valmaior (ao concelho de Aveiro).
Desta forma foi fundado o concelho de Albergaria-a-Velha, apenas com as freguesias de Albergaria-a-Velha, Angeja, São João de Loure e parte de Valmaior, no início do reinado de D. Maria II. E no dia 13 de Fevereiro de 1835 teve lugar a primeira sessão, na presença da maior parte do povo da mesma Villa, apesar de só ser oficializado por Decreto de 23 de Julho de 1835, para logo em Setembro de 1835 lhe ser acrescentado o concelho de Paus.
A 6 de Novembro de 1836, foram extintos os concelhos de Frossos e de Recardães. O primeiro, foi por poucos dias integrado no concelho de Albergaria-a-Velha, até que em Janeiro de 1837 passa a integrar o restaurado concelho de Angeja. Do segundo, uma parte da freguesia de Valmaior, passou para o concelho de Albergaria-a-Velha.
Pouco depois, a 18 de Março de 1842 foi extinto o concelho de Paus, ficando uma parte (Alquerubim e Paus) para o concelho de Albergaria-a-Velha e outra para o concelho de Águeda. No entanto pouco tempo duraria esta medida, uma vez que em Maio de 1842, na sequência da ditadura de Costa Cabral, viria a ser restaurado o concelho de Paus e extinto temporariamente o de Albergaria-a-Velha, assim se prolongando até Maio de 1846, altura em que na sequência da revolta designada por “Maria da Fonte” foi restaurado o concelho de Albergaria-a-Velha.
Poucos anos mais tarde, o Decreto de 31 de Dezembro de 1853 extinguiu os concelhos de Angeja e de Vouga. Do primeiro, passaram a integrar o concelho de Albergaria-a-Velha as freguesias de Angeja e Frossos, ficando as freguesias de Canelas e Fermelã para o concelho de Estarreja. Do segundo, viria a ser incorporada no concelho de Albergaria-a-Velha outra parte da freguesia de Valmaior.
Mas só em 1855 o concelho de Albergaria-a-Velha viria a assumir a totalidade do seu atual território, uma vez que as freguesias da Branca e Ribeira de Fráguas (ambas provenientes do então extinto concelho de da Bemposta) passaram para o concelho de Albergaria-a-Velha.
Como vimos, foi ao longo de cerca de vinte anos que se foram congregando os territórios que constituem o concelho de Albergaria-a-Velha, nem sempre de forma fácil e ordeira.
Foi por esta altura que, no período compreendido entre 1895 e 1898, o concelho de Albergaria-a-Velha anexou o concelho de Sever do Vouga. Posteriormente e por diversas vezes, as freguesias de Fermelã, do concelho de Estarreja, e de Macinhata do Vouga, do concelho de Águeda, estiveram para integrar o concelho de Albergaria-a-Velha, mas essa integração nunca veio a acontecer.
A 17 de Junho de 2011 ocorre a elevação da vila de Albergaria-a-Velha, no concelho de Albergaria -a -Velha, à categoria de cidade (Lei n.º 34/2011 de 17 de Junho).
A partir de Janeiro de 2013, o concelho de Albergaria-a-Velha sofreu uma nova reorganização, sendo agregadas as freguesias de Frossos e de Valmaior, respetivamente, a São João de Loure e Albergaria-a-Velha.
Desta forma, o concelho de Albergaria-a-Velha é presentemente constituído por seis freguesias: Albergaria-a-Velha e Valmaior, Alquerubim, Angeja, Branca, Ribeira de Fráguas e S. João de Loure e Frossos.
O concelho de Albergaria-a-Velha beneficia de uma excecional posição geoestratégica na região e no país, sendo atravessado por quatro das mais importantes vias rodoviárias do país (A1, A25, A29 e Ic2), o que permite o acesso rápido às áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, aos portos de Aveiro, Leixões e da Figueira da Foz, ao interior do país e daí a todo o espaço europeu.
O Município integra a CIRA - Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, instituição pública de natureza associativa e âmbito territorial que visa a realização de interesses comuns aos municípios que a integram.
O concelho de Albergaria-a-Velha beneficia de uma excecional posição geoestratégica na região e no país, sendo atravessado por quatro das mais importantes vias rodoviárias do país (A1, A25, A29 e o IC2), o que permite o acesso rápido às áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, aos portos de Aveiro, de Leixões e da Figueira da Foz, ao interior do país e daí a todo o espaço europeu.

 
Fonte: Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha

 

O site Viver no Centro de Portugal utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
Encontre aqui o que procura