Torres Novas

A região de Torres Novas mostrou-se de interesse  para o homem desde a época Paleolítico, quando os nossos ancestrais se instalaram na orla do rio Almonda em grutas, como são exemplos a Buraca da Moura, Oliveira e Lapa da Bugalheira.
Mais tarde, foram os Romanos que se instalaram na região e nela permaneceram por vários séculos, construindo várias vilas, das quais se destaca a Vila Cardílio, considerada um Monumento Nacional desde 1967.
Foi, no entanto, no século XII que o território, na altura conhecido por "Turris", começou a assemelhar-se com aquilo que dele conhecemos hoje, quando as terras foram conquistadas aos Mouros por D. Afonso Henriques. Décadas mais tarde, foi D. Sancho quem fundou o concelho, num foral lançado no dia 1 de Outubro de 1190, posteriormente reconhecido e perpetuado por outros regentes, como forma de protecção daquele território contra as forças invasoras, que procuraram reconquistar este território em diversas outras ocasiões. Devido aos confrontos ocorridos, o castelo, símbolo da cidade, bem como a povoação, foram várias vezes reconstruídos. 
Durante a Idade Média, Torres Novas tornou-se uma zona de forte crescimento económico e demográfico, recebendo a "Carta da Feira" em 1263. 
Em 1304, D. Diniz doou o território à sua esposa, Rainha Santa Isabel de Aragão. Durante os séculos seguintes, a região tornou-se local de reunião de Cortes, bem como palco de importantes momentos históricos. 
Em 1783 marcou-se o início da era industrial da região, quando a rainha D. Maria I concedeu licença a Henrique Meurn e David Suabe para a instalação da Fábrica das Chitas, que foi, em 1810, destruída pelas forças do general Massena, aquando a terceira invasão francesa.
No decorrer do séc. XIX a economia e indústria voltaram a florescer, dando-se ênfase à Fábrica de Papel do Almonda (1818), à Companhia de Fiação de Torres Novas (1845) e à transportadora João Clara & Companhia (Irmãos) LDA. 
Em 1893 foi inaugurada uma linha ferroviária entre Torres Novas e Alcanena que, apesar do seu objectivo de enaltecer a industria, acabou por se tornar motivo de gracejo, devido ao reduzido tamanho da composição ("Comboio Menino") e aos constantes descarrilamentos, causados pelas débeis condições da linha em que circulava ("Rata Cega"). Esta linha foi encerrada três anos após a sua criação.
A sua expansão e a crescente afirmação regional do concelho, determinaram a elevação de Torres Novas a cidade, em 1985.
O concelho de Torres Novas possui, assim, uma alargada quantidade de histórias para contar e património para visitar, deixado ao longo de vários séculos. Podemos, no entanto, contar também com um carácter natural de grande beleza, com grandes contrastes paisagísticos, valorizado e preservado através da criação de Parques e Reservas Naturais, sendo que, em plena Serra D'Aire, a 16km da cidade, podemos encontrar vestígios de uma era longínqua, que nos transportam para uma época que nos transcende e faz sonhar, como as pegadas de Dinossauros, provenientes do Jurássico Médio, descobertas em 1994. 


Fonte: Câmara Municipal de Torres Novas.

O site Viver no Centro de Portugal utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito
Encontre aqui o que procura